segunda-feira, 24 de setembro de 2018

III Encontro de Pesquisa em Arquivologia da UFES

O “III Encontro de Pesquisa em Arquivologia da UFES” está em sua terceira edição e tem como objetivo compartilhar as experiências e pesquisas do corpo discente e docente do curso de Arquivologia com a comunidade acadêmica e profissionais internos e externos da universidade. O evento abordará o tema “O arquivo no seu triplo papel: cultural, administrativo e jurídico” a partir das relações entre arquivos, culturas e atuação profissional. Com esta proposta, objetiva-se garantir a aproximação do público das pesquisas e atuação profissional nos campos da Arquivologia e dos Arquivos. Tal evento justifica-se pela importância identificada em realizar atividades culturais e acadêmicas que possam entrelaçar diferentes culturas (política, impressa, tradicional, escrita e digital) e formas de entendimentos/apropriações destas. Compreende-se que tais discussões possibilitam a construção de entendimentos que refletirão no tratamento das problemáticas relacionadas ao acesso aos bens culturais, ao acesso à informação, às ideias e aos documentos, apresentando contornos sobre as representações que estarão disponíveis para serem apropriadas pelo público a partir das realidades tratadas no evento.

Voltado para profissionais e estudantes universitários que desejam adquirir e trocar experiências acerca do tema, o evento ocorrerá nos dias 17 e 18 de outubro de 2018, no auditório Manoel Vereza, do Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE), localizado no campus Goiabeiras da UFES.

Para o evento, serão disponibilizadas 240 vagas, com inscrições on-line e certificado digital de participação a ser emitida pela organização. A taxa de inscrição é simbólica e de cunho social.

sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Nota ao CONARQ



As instituições que assinam o presente documento, envolvidas nas diversas temáticas relacionadas aos Arquivos Públicos e às pesquisas acadêmicas implementadas nestes órgãos, e nos mais variados Programas de Pós-graduação e de graduação em Arquivologia, História, Ciências Sociais, Museologia, Conservação e Restauro e Ciência da Informação, vêm a público manifestar a preocupação com a atual situação do Conselho Nacional de Arquivos (CONARQ).

Em um momento fundamental da vida institucional brasileira e do interesse da sociedade perante os documentos públicos, a inclusão pela cidadania pactuada, o fomento à transparência, e a comprovação dos direitos que os Arquivos Públicos permitem, o CONARQ tem atuado de forma totalmente descaracterizada no que compete às suas atribuições legais.

Sem demonstrar organização e proposição estruturante de suas atividades, como a emissão de portarias e o respeito às decisões colegiadas, as Entidades aqui relacionadas sublinham a perda do protagonismo do Arquivo Nacional do Brasil, em sua faceta de instituidor de políticas públicas formuladas e fomentadas pelo CONARQ.

A ausência de participação e articulação com a Associação Latino-Americana de Arquivos (ALA) e o Conselho Internacional de Arquivos (ICA), conduziu o Arquivo Nacional do Brasil e o CONARQ a um distanciamento preocupante da agenda e dos debates travados nestes Fóruns internacionais.

Há mais de uma década, os docentes e pesquisadores da Arquivologia no Brasil têm demonstrado nas diversas reuniões e atividades acadêmicas realizadas em parceria, um crescimento e amadurecimento notável quanto às questões científicas. Por outro lado, percebemos e vivenciamos o enfraquecimento progressivo das instituições arquivísticas brasileiras.

Diante deste grave cenário político e institucional, destacamos os seguintes pontos:

1. No sítio do CONARQ consta como pendente a indicação de três membros titulares e seis suplentes, que deveriam fazer parte da renovação desse colegiado desde março de 2018.

2. Dada a importância e a relevância do CONARQ no cenário nacional é fundamental a emissão de portaria pelo Ministério da Justiça, empossando as representações em vacância.

3. É necessário que a presidência do CONARQ e sua coordenação de apoio divulguem em seu sítio uma agenda de reuniões para o ano de 2018, com datas e temáticas ratificadas pelo colegiado dos conselheiros.

4. O colegiado que compõe o CONARQ, de acordo com seu Regimento Interno, é o espaço decisório soberano. Entretanto, há algum tempo, observa-se o completo desrespeito ao papel dos conselheiros, já que suas competências são deliberadamente ignoradas por uma agenda imposta pela coordenação de apoio. Os conselheiros nada sabem das atividades que levam a chancela do CONARQ e que são gestadas pela coordenação de apoio sem consultar o colegiado.

5. As câmaras técnicas e setoriais do CONARQ são fundamentais para fomentar e construir futuras políticas públicas arquivísticas. O trabalho desenvolvido por várias delas é referência para o campo, contudo, existem algumas câmaras técnicas e setoriais inativas sobre as quais o CONARQ não se manifesta, causando prejuízos ao desenvolvimento metodológico e as políticas setoriais. Neste sentido, há a necessidade de maior interação entre o colegiado do CONARQ e as câmaras técnicas e setoriais. Esta atividade deve ser promovida pela coordenação de apoio.

6. As atas das reuniões de 2017 ainda não estão aprovadas e divulgadas no site do conselho.

O CONARQ – sua presidência e coordenação de apoio – em estado de inação, bloqueia toda e qualquer questão, discussão e ação de interesse arquivístico nacional no âmbito do governo federal, atingindo diretamente os estados e municípios, que dependem deste órgão colegiado para referenciarem as suas tomadas de decisões estratégicas. É urgente que o CONARQ saia da paralisia, atue e assuma o protagonismo que é seu por direito.

Nesse sentido, nos preocupa que essa interrupção de atividades e o aparente autoritarismo continuem prejudicando ainda mais as demandas fundamentais de instituição de uma Política Arquivística em âmbito nacional.

Diante disso, esperamos que a Exma. Senhora Presidente, do CONARQ e sua coordenação de apoio se sensibilizem e retomem as atividades deste importante órgão colegiado evitando prejuízos maiores, seguindo os protocolos de um colegiado baseado na vivência e no respeito à democracia.

Belém, 20 de agosto de 2018.

Subscrevem essa nota:
- Fórum Nacional de Ensino e Pesquisa em Arquivologia – FEPARQ
- Associação Nacional de História – ANPUH
- Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais – ANPOCS
- Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação – ANCIB
- Fórum Nacional das Associações de Arquivologia do Brasil – FNArq
- Executiva Nacional de Estudantes de Arquivologia – ENEA

Disponível em:


sábado, 2 de junho de 2018

Plano de Gestão AARQES “Chapa Juntos Somos Mais Fortes” - 2018/2020


Plano de Gestão AARQES
“Chapa Juntos Somos Mais Fortes”
Biênio 2018/2020





Anderson Gomes Barbosa
Presidente

Michel Caldeira de Souza
Vice-Presidente


Juliana Sabino Simonato
1ª Secretária

André Malverdes
2º Secretário

Flávio Otone
1ª Tesoureiro

Stela Craus
2º Tesoureira

  Conselho Fiscal
  
Diovani Favoreto
Titular Presidente

Eduardo Luiz dos Santos
Membro Titular

Geovane José de Oliveira
Membro Titular


Plano de Gestão “Juntos Somos Mais Fortes” 

·        Transparência da gestão;
·        Valorização do Arquivista;
·        Fortalecimento da representatividade dos interesses dos Arquivistas do Estado do Espírito Santo;
·        Apoio e participação nos assuntos de interesse do Fórum Nacional das Associações de Arquivologia do Brasil (FNarq);
·        Promoção de ações para inserção dos Arquivistas no mercado de trabalho;
·        Promover ações que visem o aprimoramento e capacitação do Arquivista e do Técnico de Arquivo;
·        Incentivo ao ensino e a pesquisa em Arquivologia;
·        Atuação no combate ao descaso, alienação e depredação dos acervos arquivísticos do Estado do Espírito Santo;
·        Fiscalizar e notificar editais de concursos e processos seletivos irregulares para atuação de profissionais em arquivos;
·        Apoiar projetos culturais para preservação do patrimônio documental do Estado do Espírito Santo;
·        Apoio e realização de eventos arquivísticos;
·        Ampliação de parcerias com entidades públicas e privadas.

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Eleição AARQES 2018/2020



OFÍCIO AARQES Nº 013/2018                               Vitória, 14 de maio de 2018.




EDITAL: Nomeação da Comissão Eleitoral - Processo Eletivo 2018-2020

A Presidente da Associação dos Arquivistas do Estado do Espírito Santo, AARQES, no uso de suas atribuições, conforme o capítulo IV, do Estatuto da AARQES que trata sobre as Eleições da Entidade, resolve:

Nomear os associados: Margarete Farias de Moraes, Carolaine Rangel Rodrigues e Aristácio Vieira e Silva para a composição da Comissão Eleitoral responsável pelo processo eletivo 2018/2020 da nova Diretoria e Conselho Fiscal da Instituição.

A Comissão Eleitoral nomeada neste ato ficará responsável pelo processo eletivo em todas as suas fases, sendo destituída após 48h da posse da Diretoria e dos membros do Conselho Fiscal.


Cordialmente,




Juliana Sabino Simonato – Presidente AARQES

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Catálogo de Fotografias da Cidade da Serra


Resultado de uma pesquisa realizada com patrocínio da Lei Chico Prego que fomenta e valoriza a identidade e a produção cultural no município da Serra, a publicação “Patrimônio fotográfico: catálogo seletivo de fotografias da Serra” apresenta as imagens disponíveis em acervos públicos e privados que compõe as memórias fotográficas da cidade. O projeto busca oferecer aos pesquisadores e a população, em geral, com interesse na história cultural do Espirito Santo, o acesso às imagens e às informações do contexto fotográfico em questão.

Entre os acervos, existem coleções de fotografias, que compõem o acervo iconográfico e uma parte significativa se refere ao município da Serra, o que inclui imagens que compreendem o século XX, que, muitas vezes, o cidadão serrano não tem acesso, às vezes por desconhecimento, outras vezes pela acessibilidade aos documentos fotográficos somente serem possíveis in loco. Pensando em ampliar o acesso ao patrimônio fotográfico documental optamos por uma visão abrangente da descrição arquivística para elaborar um catálogo seletivo das imagens fotográficas referentes ao município no formato digital.

O projeto, bem como a publicação do catálogo em formato e-book, pretende dar maior visibilidade ao acervo fotográfico sobre a cidade, disponível nos arquivos públicos e privados, o qual compõe o patrimônio fotográfico da Serra. O acervo além de estar disponível em formato eletrônico estará acessível a população através do blog do projeto
 www.patrimoniofotograficodaserra.blogspot.com.br.


A pesquisa será apresentada ao público no dia 05 de abril de 2018, na Biblioteca de Valparaíso Av. Guarapari, 112 - Valpaiso - Serra – ES, com inscrições gratuitas e certificado de participação e contará com a seguinte programação:

16 horas – Mini-oficina Organização de Acervos Fotográficos (aberta ao público e com certificado).

19 horas – Palestra Imagem e Sociedade.

20 horas – Lançamento oficial da publicação – confraternização.





Informações sobre as inscrições na oficina e sobre o projeto:
André Malverdes
Telefone: (27) 99913-2761


quinta-feira, 8 de março de 2018

Dia Internacional da Mulher


A 08 de março de 1857, um grupo de trabalhadores têxteis decidiu levar para as ruas de Nova York um protesto contra as más condições em que trabalhavam.

Diferentes movimentos ocorreram após essa data. Em 5 de março de 1908, Nova York foi palco de uma greve de novo controverso para a época. Um grupo de mulheres pedindo igualdade de salários, reduziu o horário de trabalho para 10 horas e um tempo para amamentar seus filhos. Durante a greve, morreram mais de uma centena de mulheres queimadas em uma fábrica de algodão em Sirtwoot, em um incêndio que matou o proprietário da fábrica, em resposta à greve.

Em 1910, durante a Segunda Conferência Internacional de Mulheres Trabalhadoras, realizada em Copenhague (Dinamarca) declararam 08 de março como o Dia Internacional das Mulheres Trabalhadoras.

Atualmente, ele é comemorado como o Dia Internacional da Mulher.
O tema do Dia Internacional da Mulher 2013, com foco na violência contra as mulheres: Uma promessa é uma promessa: o tempo de tomar medidas para acabar com a violência contra as mulheres.